Sons e Palavras – Ho’oponopono 


Somos sons 🎶 e as palavras são sementes🌱

Pronunciar Sinto muito devolve a unidade perdida. O som é assimilado por seus ouvidos e viaja pela tua pele, que é o órgão mais extenso do teu organismo. A expressão te conecta e te faz sensível frente às vivências dos demais, te desapega dos resultados e te converte em uma unidade.

O som das palavras “Perdão”, “Perdoa-me”, faz eco em teu pâncreas e em teu cólon, desatando laços e liberando histórias

E se pudesses ver o que mobiliza no teu corpo um eu te agradeço, sou grato/grata, obrigado / obrigada; sorririas junto às tuas células, preenchendo suas veias, limpando seu interior e convertendo teu sangue em luz em esse ato desprendido e sincero de quem te devolve gratidão.

Te amo, amo você , você é amado/amada, você é muito importante para mim são os sons mais curadores do Universo… essas minúsculas frases cobrem teu corpo e viajam através dos teus pulmões, desobstruindo tua respiração… elas atingem teus rins e transmutam os medos, fazendo com que milhões de células sorridentes deem energia às células tristes do teu sistema imunológico. E também permitem que algumas outras, que nasceram com a arte da jardinagem, semeiem relva suave, fresca e verde ao redor das zonas mais áridas do teu corpo. Em síntese: elas renovam a tua esperança.

Se pudesses ver o que provocam as palavras, em ti e nos demais, começarias a observar teus pensamentos, teus silêncios, teus sons e teus ruídos, porque neste oceano de energia que somos, cada onda que emitimos cria ondas de diversas cores e intensidades, que influenciam os demais.

Sinto muitoPerdoa-meAgradeçoAmo vocêVocê me importa

Estas devem ser palavras e expressões cotidianas em nosso vocabulário. Para o nosso próprio bem. E para o de todos. Todos os dias.

Tenha a coragem de viver e praticar o Amor. E não esconda isto: o Amor é cura-dor (e quem ama é um vence-dor ).


“O sentido a vida é conhecer e amar a Deus e ao outro.”


#claudialinsoficial

Anúncios

O que o Ho’oponopono pode fazer por nós 


Para a grande maioria de nós – seres humanos – é quase impossível, passar por determinadas situações sem sentir nada… nenhum desconforto ou mal estar. O próprio Dr. Hew Len só conseguiu curar uma ala inteira de doentes mentais, porque “sentiu”… porque observou o que sentia e limpou o que sentia. Ou seja, faz parte da natureza humana, com sua estrutura de ego (memórias para o Ho’oponopono, Oponente para a Kabbalah, ego negativo para a psicologia), “sentir” não apenas coisas boas como amor, alegria, paz, apaixonamento, gratidão, etc., mas também medo, insegurança, raiva, tristeza, frustração e afins.

Pense naquelas críticas maldosas…, às vezes até algumas críticas construtivas, dependendo de como são colocadas, são difíceis de receber. Pense nas situações de conflito familiar, nas opiniões diferentes entre amigos, nas divergências profissionais, nas diferenças políticas e religiosas. Pense nos conflitos amorosos… enfim, pense em relacionar-se com qualquer pessoa e você já vai imaginar os desafios que podem (e vão!) surgir.

Portanto, todos nós estamos sujeitos a passar por qualquer conflito emocional com outras pessoas e a sentir tristeza, frustração, raiva, decepção, dor, angústia, insegurança, medos, etc. A questão não é essa, tendo em vista que pouquíssimas pessoas aqui na Terra podem se dar ao luxo de dizer que são “perfeitas”, e as que são não o dizem. Então, a questão é…

Por quanto tempo vamos ficar reféns desses sentimentos?

Por quanto tempo vamos permitir que a tristeza, a frustração, a raiva, a decepção, a dor, a angústia, a insegurança, ou qualquer tipo de medo fique rondando a nossa mente e o nosso sagrado coração?

Por quanto tempo vamos permitir que esses sentimentos nos ‘controlem’?

Então, já que praticamente nenhum de nós está isento de senti-los, o que podemos fazer é, mesmo enquanto nos damos conta de que estamos assolados por um ou mais desses sentimentos; mesmo enquanto, talvez, lágrimas de tristeza ou decepção estejam escorrendo pela nossa face ou nossa alma… limpar e purificar, limpar e purificar, limpar e purificar, limpar e purificar… o tempo todo, a noite toda, se for o caso. Mas temos que decidir que “NÃO vamos ficar reféns destes sentimentos!” E, muito importante, fazemos a limpeza com muuuuito amor. Porque Ho’oponopono é Amor.

“Queridas memórias, eu amo vocês. Sou grato(a) pela oportunidade de libertar vocês e a mim.”


Quem estuda e pratica o processo de cura havaiano, sabe “de carteirinha” que nós NÃO podemos mudar o outro. Não apenas não podemos, como (de fato!) não conseguimos mudar o outro. Ninguém consegue isso! Qualquer pessoa só muda, se dentro de si mesma houver o desejo de mudança. Caso contrário, esqueça! Este é um dos princípios mais importantes a serem assimilados quando se pratica o Ho’oponopono. Ou seja:

Eu sou 100% responsável pelo que EU sinto!

Se EU sou o único responsável pelo que EU sinto em qualquer situação, isso quer dizer que somente EU posso mudar o que Eu sinto!
Nossa! Isso é que é uma chave de ouro para a liberdade pessoal!

Então… tudo o que eu tenho a fazer é limpar o que EU sinto com o Ho’oponopono?

Sim! 

Ninguém fora de mim tem a obrigação de fazer o que “eu quero”, de agir da forma como “eu acho que deve agir”, de me dizer o que “eu espero” ouvir, de sentir por mim o que “eu espero” que a pessoa sinta, etc… Tudo não passa de expectativas MINHAS quanto ao que o outro deve ou não fazer, dizer, agir, sentir, pensar, etc.

Compreendendo isso, fica tudo muito mais fácil!
Eu não posso mudar o outro!


Eu só posso mudar o que EU sinto com relação ao outro.
Eu só posso mudar o que EU sinto com relação ao que o outro fez/faz ou deixou de fazer.
Eu só posso mudar o que EU sinto com relação ao que eu acho que o outro deveria ou não estar sentindo.
Eu só posso mudar o que EU sinto com relação às minhas próprias expectativas com relação a QUALQUER COISA fora de mim.
E assim por diante.


E como fazer isso?

Quando alguma situação desconfortável acontecer dentro (situação imaginária) ou fora (situação real) de você, lembre-se de que aquilo que você sentir se trata apenas das memórias (sentimentos de medo, insegurança, raiva, frustração, tristeza ou seja o que for) “se apresentando” para serem limpas e purificadas.


Você pode, então, fazer (mentalmente ou verbalmente) a Petição ao Divino Criador, da kahuna Morrnah Nalamaku Simeona (criadora do Ho’oponopono da Identidade Própria) e, em seguida, repetir consecutivamente as quatro Frases de limpeza do Ho’oponopono.

Repetir quantas vezes?
Por favor, NÃO determine quantas vezes você vai repetir as frases, quando você faz isso, é o seu intelecto quem está dizendo: “tem que ser x vezes e se não for x vezes, não funciona”, o que não é verdade! Além de não fazer parte do processo de limpeza do Ho’oponopono. Faça até sentir paz… a Paz do Eu.

PETIÇÃO AO DIVINO CRIADOR

Divino Criador, Pai, Mãe, Criança em Um…
Se eu, a minha família, meus parentes e antepassados ofendemos à Ti, à tua família, parentes e antepassados em pensamentos, palavras, atos e ações, desde o início da nossa criação até o presente… Nós pedimos o Teu perdão. Deixe que isto limpe, purifique, libere, seccione, corte e corrija todas as recordações, bloqueios, energias e vibrações negativas. E transmutae essas energias indesejáveis em uma Luz pura. Está feito!
Sinto muito. Por favor, me perdoe. Eu te amo. Sou grato(a).
Sinto muito. Por favor, me perdoe. Eu te amo. Sou grato(a).
Sinto muito. Por favor, me perdoe. Eu te amo. Sou grato(a).
Sinto muito. Por favor, me perdoe. Eu te amo. Sou grato(a).


Outra coisa que você pode fazer é a Oração Original, também da kahuna Morrnah Nalamaku Simenona.

Além de ser uma linda oração, vai auxiliar você a limpar memórias compartilhadas com qualquer pessoa. A Oração Original tem um fechamento que eu, particularmente, acho libertador! Ela parte do princípio do Ho’oponopono de que todas as pessoas e situações que ‘EU’ atraio para a minha vida, vieram para a ‘MINHA’ cura.

“…
Esta oração é minha porta
Minha contribuição à tua saúde emocional que é a mesma minha.
Então, esteja bem e, na medida em que você vai se curando, eu te digo que:
Eu sinto muito pelas memórias de dor que compartilho com você.
Te peço perdão por unir meu caminho ao seu para a cura.
Te agradeço por estar aqui para mim.
E te amo por ser quem você é.”

Boa sorte e boa limpeza mental!
Te amo,
Sou grata,


Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grata…


#claudialinsoficial

Seu desejo é uma ordem

SEU DESEJO É UMA ORDEM! – A FELICIDADE SEMPRE NOS ESTÁ DISPONÍVEL!

Se, assim como Aladim, você estivesse diante do gênio da lâmpada e o mesmo lhe concedesse três desejos, o que pediria?


Tornar-se rico, casar-se com alguém improvável ou obter fama são alguns exemplos de desejos que povoam o imaginário de um número significativo de pessoas, as quais buscam manifestá-los através da lei da atração.

Recentemente assisti a um ótimo filme chamado CLICK (com Adam Sandler). É a história de um homem de classe média baixa, que quer tanto melhorar a situação financeira da família, que a deixa de lado em nome de seu trabalho. Até que um dia, ganha um controle remoto universal que permite manipular sua própria vida: através dele, é possível baixar o som do latido de seu cachorro, colocar em pausa pessoas que o incomodam, avançar no tempo (para o futuro) como forma de não ter que viver suas brigas com a esposa…

Inicialmente, esse controle remoto universal, parece tão mágico quanto a lâmpada de Aladim, só que o protagonista não conta com ocorrências, como: ao desejar obter imediatamente uma promoção profissional, que o chefe promete para poucos meses adiante, é direcionado para o momento exato em que inicia no novo cargo. Contudo, diferente da afirmação do chefe, o prazo decorrido é de um ano. E ele não se lembra de nada que aconteceu nesse período, é como se tivesse deixado de viver um ano inteiro da sua vida.

Outra surpresa é que, depois de um tempo, todos os comandos repetidos no controle remoto com muita frequência, passam a ser automáticos. Por exemplo, como ele sempre pula as brigas com a esposa, ao simples sinal de um desentendimento com a mulher, o controle remoto já o leva para um momento futuro. Certo dia, mesmo sem querer esquivar-se da briga, quando a discussão iniciaria, ele é direcionado para um momento futuro em que o casal está divorciado (durante esses saltos temporais, ele não se lembra do que acontece, mas continua em um modo automático, inexpressivo, convivendo com as demais pessoas como se fosse um zumbi).

O que parecia ser um presente, mostrou-se o pior dos pesadelos ao protagonista: em busca do total controle de sua própria vida, o descontrole instaura-se! E é exatamente isso o que acontece quando entregamos o controle de nossas vidas e nossos desejos ao ego e à nossa criança interior.

Esse filme exemplifica muito do funcionamento da lei da atração: o Universo atende a todos os nossos desejos, não apenas três, como na versão da Disney para o conto de fadas Aladim e a Lâmpada Maravilhosa. Mas será que temos real consciência sobre o que estamos desejando?”

Após feito o pedido, a lei da atração, responsável pela manifestação de nossos desejos, funciona a partir da integração entre o que acreditamos e confiamos. Embora haja uma complexidade maior envolvida, apenas para facilitar essa compreensão, podemos considerar que o que acreditamos está mais intimamente ligado ao pensamento e ao ego, enquanto o que confiamos têm uma relação maior com o sentimento e nossa criança interior.

Como exemplo, podemos citar que um desejo no qual não acreditamos ser possível manifestar, desperta sentimentos negativos, dando a sensação de que não houve manifestação. Outra possibilidade é de acreditarmos tanto em algo, que criamos pressão sobre o Universo, por meio de expectativas. Nesse caso, nosso coração também sente-se pressionado, por isso novamente a sensação é de resultados negativos.

Na verdade, a lei da atração está em constante funcionamento, a manifestação sempre acontece. O problema é quando nosso aspecto humano (composto pelo ego e criança interior) não a enxerga. Ao se fixar no desejo e no planejamento que institui com seus próprios tempos e diretrizes pré-determinadas, o ego acaba não enxergando a manifestação de outras rotas, que levam ao mesmo destino, mas por estradas diferentes, em tempos também distintos.

Em essência, a criança interior é responsável pela nosso destemor, leveza, brincadeira. Uma criança interior ferida, pode ser mimada, birrenta e não ter senso do que pode fazer ou não bem. Se você der um doce a uma criança antes do almoço, é muito provável que ela perca o apetite, prejudicando sua refeição.

O ego é nosso lado mais adulto que traz referências sobre a materialidade da vida. Ele pode tanto educar como oprimir a criança interior, É muito comum a distorção do ego, como se sua função fosse de controle. Em essência, a nobre missão do ego é abrir caminhos para a expressão dos propósitos da alma no planeta Terra.

Ego e criança interior, em essência, são parceiros da alma. Os verdadeiros desejos, aqueles que têm como base o amor e a evolução, provêm da alma. Todavia, como a alma comunica-se de modo muito sutil, cabe ao ego captar tais informações e decodificá-las para a fisicalidade.
Por exemplo: para o ego em desconexão com a alma, poder é algo egoísta, isto é, o interesse próprio vem em primeiro plano. Enquanto para o ego integrado à alma, poder é nossa capacidade de compartilhar amor.

Vale a pena percebermos que nem o ego, nem nossa criança interior são vilões. E nosso maior desafio nessa vida é sustentarmos sua integração com a alma.

Uma excelente maneira de viabilizar isso é investigarmos sempre nossos desejos e nos perguntarmos a que eles servem: ao poder egoísta do ego, à criança interior ferida ou aos propósitos da alma?

Vejamos um exemplo real de uma cliente minha: após assistir ao documentário O Segredo, criou uma tela mental com o objetivo de adquirir um determinado carro. Pouco tempo depois, ofereceram um automóvel do mesmo modelo para que seu marido comprasse através de suaves prestações. Ela ficou em êxtase por conseguir manifestar seu desejo, embora aquela alegria não tenha se sustentado por muito tempo, já que havia criado a expectativa de que o carro traria a felicidade que buscava para sua vida.

O veículo acabou trazendo mais dívidas, sem contar que seu custo de manutenção era alto demais para a realidade da família naquele momento. Eles acabaram tendo de vendê-lo. Entretanto, essa experiência fez com que ela percebesse que seu verdadeiro desejo não era apenas material, mas também espiritual. A questão é que ela não se sentia merecedora da felicidade. Isso fez com que me procurasse e déssemos início a um lindo processo psicoterapêutico, no qual a cada dia expressa mais evolução.

A felicidade sempre nos está disponível. O ego e a criança interior ferida é que às vezes não querem enxergá-la ou não tem a coragem de mantê-la presente. Por isso é sempre tão importante cuidarmos para que ego, criança interior e alma entrem em sintonia.

Essa é a chave que a lei da atração utiliza para manifestar o amor incondicional do Universo. E todos somos merecedores desse amor!!!

(Adriano Rizk) do blogue “O Segredo”

Confira as 9 afirmações positivas mais poderosas já criadas!

Afirmações positivas poderosas: Confira as 9 afirmações positivas mais poderosas já criadas!


Agora vamos ver algumas afirmações positivas poderosas que podem transformar sua vida para sempre. Elas podem fazer maravilhas. Mas você precisa colocá-las em prática.

1# Eu tenho abundância ilimitada sempre disponível para mim.

Tudo que você precisa fazer é perceber isso e aceitar essa verdade universal em sua vida.

Examine como você pode estar limitando sua prosperidade através do seu subconsciente com crenças limitantes.

O universo é infinitamente abundante e fornece tudo o que poderíamos precisar. Contudo, nós podemos nos desligar dessa corrente abundante através de nossas crenças limitantes.

Essa afirmação repetida várias vezes vai ajudar eliminar tal crença limitante.

2# Eu sou o criador da minha realidade.

Você é o criador de sua realidade, e de mais ninguém. No entanto, até você se tornar consciente desse fato e começar a trabalhar com ele, você está dando o seu poder aos outros e deixa as forças fora de si mesmo influenciar sua vida fortemente e definir a sua realidade, e assim a ilusão de não ter controle total seja perpetuada.

Só quando você está pronto para assumir total responsabilidade por tudo o que você criou em sua vida, você será capaz de assumir o controle total sobre ela.

Então o primeiro passo é entender e aceitar que você é o criador da sua própria realidade. Você, e mais ninguém cria sua realidade.

Essa afirmação vai ajudá-lo criar a consciência desse fato. Uma vez atingido essa consciência em um nível subconsciente, você, então, realmente assume total controle sob sua vida.

3# Eu me amo e me aceito como sou.

Tudo é perfeito, sempre. Você não está excluído deste fato da vida. Onde você está no seu desenvolvimento espiritual e consciência, neste momento, é perfeito. Não há melhor do que ou menor que, apenas o que é. E assim tudo e todos também é perfeito, não importa o quão escuro e não importa quanta luz.

Apenas se ame e se aceite como você é.

4# Eu sou amado e apoiado pelo universo.

Como um aspecto do Criador / Deus, você é incondicionalmente amado e apoiado. Todos somos amados de forma inequívoca e igualmente.

O grau em que você enfrentar esse fato em sua vida é um reflexo da abertura que você tem a esse amor.

Mais uma vez, só você pode optar por cortar-se fora desse plano e só você pode escolher o quanto aberto ao amor você está.

5# Sou um poderoso ser espiritual.

Não subestime seu poder. Não acredite em tudo o que lhe foi dito sobre o que você é capaz de fazer.

A sociedade, seus amigos bem intencionados, familiares e entes queridos, a ciência dominante e os meios de comunicação podem, todos lhe dizer o contrário, mas não preste atenção às suas palavras, pois você, e eles também, são infinitamente poderosos seres espirituais.

Estamos todos em vários estágios no processo de recordar esta verdade – a verdade de que somos realmente capazes de qualquer coisa que colocamos o nosso foco, vontade e nossa mente.

6# Eu atraio exatamente o que eu quero ou preciso.

A vida pode ser tão fácil como você permitir que ela seja. Se você está tendo dificuldades, pergunte-se por que você está criando estas dificuldades para si mesmo? Que lição você precisa aprender?

Que crença limitante está impedindo você de atrair exatamente o que você precisa sem grande esforço?

Seja brutalmente honesto consigo mesmo. Qualquer coisa menos que isso só vai prender você na mediocridade, ninguém mais.

7# Tenho a capacidade de criar e conquistar o que eu desejo.

É o seu direito de primogenitura. O Criador / Deus criou o homem à sua imagem e semelhança, e para você também foi dado o poder de criar, seja o que for que você deseja.

E assim você faz, quer você esteja ciente disso ou não.

Quando você se tornar mais consciente do seu verdadeiro poder e começar a assumir uma maior responsabilidade, então você também vai começar a exercer maior poder sobre suas criações.

8# Eu sou um ser espiritual vivendo uma experiência física.

Tudo se origina de espírito. Não perda de vista a floresta olhando para as árvores. Sempre mantenha uma perspectiva mais elevada sobre os eventos que ocorrem em um determinado momento.

Isso vai ajudar a mantê-lo consciente, sem se perder e sem ser sugado para dentro de uma ilusão da dualidade e separação.

Deixe sua intuição maior guiá-lo e você nunca vai ser desviado do caminho correto.

9# Estou em paz com o mundo em torno de mim e o mundo está em paz comigo.

Sendo um criador poderoso, você tem o poder escolher quanto você realmente deseja mudar o mundo ao seu redor.

Você escolhe o conflito e separação, ou unidade e paz?

Conscientize-se de como você se aproxima de uma vida plena e interações agradáveis. O mundo ao seu redor simplesmente reflete de volta para você a frequência que você está transmitindo.

Se você está descontente com a forma como o mundo está te tratando, mude suas percepções pessoais e comece a transformar o mundo diante de seus olhos.

Se não for possível AMAR o próximo, pelo menos não ferre com a vida dele.


Vivemos em uma sociedade erguida sob os pilares do egoísmo e da individualidade. Desse modo, torna-se difícil seguir o mandamento cristão de:

– “Ama o teu próximo como a ti mesmo”. 

Essa caridade, como pregava Rousseau, parece impossível diante das circunstâncias dadas. Assim, se é quase impossível amar o próximo como a si mesmo, qual a possibilidade mais plausível para a modernidade líquida?

Para Conte-Sponville, a possibilidade de solução encontra-se na doçura. A doçura não visa atingir a máxima sublime rousseauniana de 

– “Faz ao outro o que queres que ele te faça” 

– mas sim, de na impossibilidade de fazer o bem, pelo menos não fazer o mal. Falando assim, parece pouco, entretanto, quantas lástimas seriam impedidas se houvesse doçura? Isto é, se o ser humano ao agir respeitasse os limites do outro, a maior parte das discórdias e cóleras seriam evitadas.
No entanto, ao expandir-se o homem, não só é despiedoso, como desconsidera qualquer possibilidade que possa fazer mal ao outro. Ao buscar o seu prazer, o indivíduo desconsidera o mal que faz ao outro. Parece, inclusive, regozijar-se com o mal produzido e com a sua opressão. Goethe chega a dizer:

 “Infeliz daquele que usa do seu poder sobre um coração para abafar as ingênuas alegrias que nele nascem espontaneamente”. 

Ou seja, se não fazes o bem, não ouse fazer o mal de abafar a alegria de alguém.

A doçura, dessa forma, é a virtude que impede que sejamos os infelizes relatados por Goethe. É a benignidade de Montaigne, que visa uma vida que se recusa a fazer sofrer, destruir e devastar. É a ação contemplativa, respeitosa para o que nos cerca, de modo que não concorremos para o fim daquilo que não necessariamente seja fruto da nossa felicidade. Nem todas as pessoas, por exemplo, gostam de animais, assim, não é imprescindível que todos tratem os animais de forma carinhosa, bem como, não autoriza que alguém os maltrate. Dito de outro modo, agir com doçura não significa agir do modo mais belo e sim da forma que faça menos mal.
Obviamente, a doçura é muito mais simples que a caridade e, portanto, mais fácil de ser executada, assim como, mais necessária, pois, há a possibilidade de viver sem caridade, todavia, sem doçura é impossível. Embora seja mais fácil, o que percebemos é que a doçura é quase tão difícil de ser exercida quanto à caridade. Como dito, os homens parecem sentir prazer com o mal que produzem no outro. A tranquilidade ou a felicidade de outrem sem a nossa participação parece ser intragável, é o que atenta também Goethe:

– “Quando vemos algumas pessoas felizes, sem que para isso tenhamos concorrido, a felicidade nos é insuportável”.

Sendo assim, um modo de vida virtuoso passa pela doçura, em que ao agirmos levamos em consideração a existência do outro. Não concorrer para o mal já é de grande valia, pois não adianta viver a hipocrisia de ajuda ao próximo, de caridade, se na maior parte do tempo só pensamos em nosso próprio umbigo.
Antes de ajudar, é preciso não atrapalhar. Antes de fazer o bem, é preciso não fazer mal. E para não fazer mal a alguém e conseguir alegrar-se com a felicidade do outro é necessário ser doce, pois só estes entendem a importância de fazer o próprio bem com o menor mal possível aos outros.


Texto de: (Erick Morais) do blogue O SEGREDO

Ho’oponopono – Tornar Certo


A paz começa comigo.
Limpando a memória através da Sabedoria dos Karunas.
 Tive algumas oportunidades maravilhosas em minha vida e uma delas foi ter acesso a sabedoria dos Karunas no Hawaii. 
Em Havaiano, Hoo significa “causa”, e ponopono quer dizer “perfeição”, portanto Ho’oponopono significa “corrigir um erro” ou “tornar certo”. 
Você pode através desse sistema se livrar das recordações que tocam repetidamente na sua mente (aquela conversa mental interna incessante – principalmente depois de situações estressantes e desagradáveis) e encontrar a Paz. 
Sem os pensamentos se repetindo, sem crenças limitadoras, sem condicionamentos, sem as lembranças dolorosas, um espaço vazio se abre dentro de você. O Ho’oponopono lhe permite soltar estas recordações dolorosas, que são a causa de tudo que é tipo de desequilíbrios e doenças. Na medida em que a memória é limpa, pensamentos de origem Divina e Inspiração ocupam o vazio dentro de você. A única coisa que devemos fazer é limpar; limpar todas as recordações, com quatro simples frases que abrangem tudo: 
Sinto muito. Me perdoe. Te amo. Sou grato. 
Lembrem-se, um problema é uma memória repetindo uma experiência do passado. O Ho’oponopono é um apelo a Divindade para cancelar as memórias que estão se repetindo como problemas. O Dr. Len mantém essa frase em mente sempre; “A paz começa comigo”, é o que ele procura praticar embora ainda tropece vez ou outra.
Com o Ho’oponopono estamos assumindo a responsabilidade pelas memórias que compartilhamos com as outras pessoas. Pesquisas mostram que a todo momento existem 11 milhões de “bits” de informação em nossa volta, mas só percebemos 15 “bits”, e são em cima desses “bits” que julgamos as coisas! Portanto, não sabemos o que realmente está acontecendo. Então dizemos para a Divindade; “Se existe algo acontecendo em mim que me faça vivenciar as pessoas de determinada maneira, eu gostaria de liberar isso.” Largando de mão essa vontade de consertar as coisas, de mudar as pessoas, deixando Deus fazer, nós mudamos nosso mundo interior o que causa uma mudança também no mundo externo. 
Ser 100% responsável é um caminho de pedras, por ser o intelecto tão insistente. Quando nos ocorre um problema o intelecto sempre busca alguém ou alguma coisa para culpar. Insistimos em procurar fora de nós a origem dos nossos problemas. 
A kahuna* Morrnah Simeona, ensinava que; “Estamos aqui somente para trazer Paz para nossa própria vida, e se trazemos a Paz para nossa vida tudo em nossa volta descobre seu próprio lugar, seu ritmo e Paz.”. Esta é a essência do processo Hooponopono. 
*”Kahuna” em Havaiano significa “guardião do segredo”